Voltar   

OS PILARES DA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO SETOR

Reportagem Especial | Reportagem de Capa | 22.06.2020




OS PILARES DA
GESTÃO DE RESÍDUOS
SÓLIDOS DO SETOR

Fabricantes de celulose e papel adotam diferentes estratégias para
otimizar a geração e o reaproveitamento dos resíduos resultantes
de suas etapas fabris e registram melhorias contínuas rumo à
meta de zerar a destinação a aterros industriais


Disposta a se posicionar não só como protagonista, mas como propulsora da bioeconomia circular, a indústria de base florestal já apresenta exemplos práticos e bem-sucedidos de como otimizar o uso de recursos naturais e buscar um fechamento crescente do ciclo produtivo ao fabricar um portfólio reciclável e renovável, com potencial de crescimento ainda a ser amplamente explorado. A atuação em linha com os conceitos de sustentabilidade é resultado de esforços e investimentos contínuos em incrementos diversos nas muitas etapas que compõem o seu processo fabril.
Entre os avanços conquistados por essa conduta proativa, destacam-se melhorias
no tratamento e destinação de resíduos sólidos industriais. As metas de minimizar
a geração e aumentar o índice de reciclagem dos resíduos resultantes da fabricação de celulose e papel, na verdade,refletem um trabalho que se desenrola há anos e segue em andamento, sempre em busca de mais aprimoramento.

De forma geral, extrapolando as práticas do setor à indústria nacional como
um todo, o esforço em prol de uma conduta mais adequada, que atenda aos três
aspectos (econômico, social e ambiental) que formam o tripé da sustentabilidade, ganhou força nas últimas duas décadas, período em que a conscientização a respeito dos impactos ambientais acarretados pelas atividades humanas cresceu exponencialmente. 

Confira a matéria na íntegra no PDF disponível para download

Caroline Martin
Especial para Revista O Papel