Publicação
TRATAMENTO ENZIMÁTICO SOBRE AS FIBRAS
RECICLADAS DE PAPELÃO ONDULADO


Autores: Gilson da Silva Cardoso 1, Jefferson Luiz Lopes 1, Marcilene Rocha dos Santos 1 Rodrigo José Ferreira Lopes1
1 Senai – Telêmaco Borba-PR. Brasil

O PAPEL vol. 79, num. 7, pp. 80 - 86 JUL 2018


RESUMO
O uso de fibras recicladas de papelão ondulado na fabricação
de papel de embalagem tem despertado o interesse numa
maior compreensão acerca da qualidade das fibras. Assim, as
indústrias de papel reciclado buscam estratégias para o aumento
da competitividade. O presente trabalho tem como objetivo
avaliar os efeitos da enzima celulase na qualidade das fibras
recicladas de papelão ondulado sendo aplicadas antes e depois
da refinação. Para isso, inicialmente as polpas foram submetidas
ao tratamento enzimático antes da refinação com dosagens
de 500 e 1.000 g de enzimas/ tonelada de polpa na base seca
pelo período de 1 hora, sendo a amostra de controle analisada
sem a aplicação de enzimas. Após o tratamento enzimático foi
realizada a refinação da amostra de polpa, em um refinador
Jokro, até grau de drenabilidade Schopper Riegler de aproximadamente
40 °SR, e avaliada a qualidade das fibras por meio do
ensaio de morfologia das fibras feito pelo equipamento MORFI.
Observou-se que a aplicação das enzimas reduziu em aproximadamente
40% o tempo de refinação em comparação àquele
da amostra controle, e apresentou melhoria na ligação entre
fibras, o que foi verificado pelo aumento do Relative Bonded
Àrea (RBA). Quanto ao índice de torção e curvatura das fibras
ambos permaneceram constantes. Num segundo tratamento a
polpa foi submetida à refinação no refinador Jokro com tempo
fixo de 10 minutos. Em seguida, foram aplicadas as enzimas
em dosagens de 200 e 500 g de enzimas/ tonelada de polpa na
base seca durante 1 hora, com exceção da amostra de controle,
mantendo a temperatura em 50 e 55 °C. Nessa etapa a caracterização
química se deu por meio da análise da viscosidade e
os impactos físicos foram avaliados por meio do grau de drenabilidade
(°SR) e pela caracterização morfológica das fibras pelo
equipamento MORFI. Dessa forma, observou-se que houve uma
queda de 15% em relação ao °SR entre a amostra de controle e
aplicação de 0,05% de enzima, indicando uma melhora na drenagem,
o que pode contribuir para economia de vapor na secagem
e aumento de produção. Também foi notada uma redução
na viscosidade e pouca variação de percentual de finos. Com
isso foi possível verificar a eficácia do pré-tratamento enzimático
na refinação e comprovar que o pós-tratamento enzimático também
pode trazer benefícios quanto à qualidade da fibra.


Palavras chave: Refinação. Papelão ondulado. Enzimas. Morfologia.


Anexos

AT-2 Tratamento Enzimatico

PDF | 1047 Kb

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009