A SUSTENTABILIDADE, O HOMEM E AS ESTRELAS

Publicação
Por Paulo Groke
Diretor Superintendente do Instituto Ecofuturo,
organização que, há 20 anos, atua para
conservação ambiental e promoção da leitura

Sempre que o Homo sapiens opera em seu modo
habitual, naquela zona de conforto vendida
como “natural”, o desconforto acaba sendo das
outras espécies. Mas, e quando acontece o contrário?
Quando é a nossa espécie que precisa se reinventar,
com a economia e seus movimentos sendo desacelerados
à força, a situação muda de figura: aí é a vez da flora e da
fauna reclamarem seus espaços de origem.

Quer um exemplo? Em tempos de Covid-19, centenas
de registros vêm mostrando a bicharada aparecendo
em ambientes urbanos: vimos uma medusa nos canais de
Veneza, coiotes em uma praia de São Francisco, crocodilos
andando pelas ruas da Carolina do Sul, cangurus em Adelaide,
leões marinhos em Mar Del Plata e por aí vai. Bastou
um momento de desaceleração para que bichos e plantas
pudessem dizer “estamos aqui, olhem!”.


Leia mais no PDF
Anexos

PDF | 2061 Kb

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009