ABPO amplia atuação e se torna Empapel

Publicação
Com alta taxa de reciclagem, papel e papelão ondulado são matérias-primas para embalagens sustentáveis. A expedição de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado em novembro de 2020 teve aumento de 4,2% em relação ao mesmo período de 2019, com novo registro de recorde mensal


Há muito tempo que o papel e o papelão ondulado deixaram de embalar mercadorias e tornaram-se bens de consumo reciclados, que ainda podem ser reaproveitados dentro da própria economia. A Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO), entidade de classe sem fins lucrativos, que desde 1974 representa a indústria de Papelão Ondulado no Brasil, amplia seu escopo de atuação e surge renovada como Associação Brasileira de Embalagens em Papel (Empapel). 
A nova associação nasce em 2020, um ano desafiador e marcado pela pandemia da Covid-19, com a importante missão de explorar todo o potencial do insumo em um cenário em que os consumidores estão cada vez mais conscientes e comprometidos com a economia circular — conceito que promove novas maneiras de produzir e consumir, que gerem recursos a longo prazo.
“A proposta de representar o segmento de papel e papelão ondulado destinados à fabricação de embalagens está direcionada a uma atuação mais estratégica em uma sociedade que cobra novos meios de produzir de maneira mais sustentável a cada dia. Nossa meta é crescer 3% nos próximos cinco anos”, afirma Gabriella Michelucci, presidente da Empapel. 
A entidade tem como missão ser reconhecida como uma associação que transforma o diferencial ambiental das embalagens de papel. “A Empapel quer promover uma ampliação de mercado e de oportunidades de negócios para os seus associados, além de alcançar protagonismo em soluções para embalagem”, reitera a presidente. 
Mercado 
Dados da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), a partir de pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), dão conta de que 31% do mercado de embalagens provém do setor (papel, papelão ondulado, papel cartão/cartolina e madeira). 
O aumento da busca por embalagens mais sustentáveis, produzidas a partir de fontes renováveis, vem crescendo a cada ano. A taxa de recuperação do papel produzido no Brasil para o mercado interno é de 86,3%, segundo dados da Pöyry, a partir de pesquisa da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), de 2019. 
Do ponto de vista econômico, o setor reduz custos com produção e ainda distribui riquezas, além de contribuir com a diminuição dos detritos em aterros sanitários. O Brasil está entre os principais países recicladores de papel do mundo, com 4,1 milhões de toneladas retornando para o processo produtivo, segundo dados da Ibá de 2019.  

Atualmente, 67% das embalagens brasileiras são produzidas com fibras recicladas. Outro aspecto, o social, também está inserido neste contexto, uma vez que este mercado gera renda para catadores e recicladores. 

Multiplicidade de uso 
A embalagem de papelão ondulado permite inúmeras aplicações, com destaque para a crescente demanda no comércio eletrônico. Dados da Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (ABcomm) mostram que, antes de março de 2020, as vendas pela internet representavam 5,8% do que era comercializado no varejo. De janeiro a agosto, em relação ao mesmo período de 2019, o faturamento do varejo digital cresceu 56,8%, com expectativa de fechar o ano com taxa de crescimento consolidada em 10%. 
No mercado de embalagens de papel, por exemplo, houve aumento das compras on-line de bens duráveis e semiduráveis em vários segmentos como vestuário, eletroeletrônicos, móveis, além do delivery de alimentos e bebidas, por conta da procura por produtos que precisavam chegar embalados. 
Além de proteção ao produto, as embalagens oferecem segurança no transporte contra choques físicos, na condução até o destino final, seja a prateleira dos mercados, locais de armazenamento ou a casa dos consumidores. As embalagens de papelão ondulado carregam também um conceito de simplicidade e baixo custo. Elas podem ser moldadas em diversos formatos e o produto é leve, prático e demanda pouco espaço para acomodação, uma vez que é totalmente customizada. 
Há muito trabalho pela frente para a Empapel. Como ponto de partida, a nova entidade acompanha o setor de perto, com boletins analíticos, organização de cursos de aprimoramento profissional do segmento e participação em eventos on-line. Com este trabalho é possível identificar as necessidades do mercado, além de diferentes oportunidades de investimentos e negócios.


Fonte: Empapel

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009