Suzano e Spinnova anunciam fábrica para têxteis

Publicação

Suzano e Spinnova anunciam fábrica para produção de fibras têxteis

Uma Joint Venture (50/50) formada pela Suzano, produtora de celulose de eucalipto, e a Spinnova, startup finlandesa voltada à inovação de materiais, anunciou hoje, durante entrevista coletiva, a construção de uma fábrica em escala comercial para a produção de fibras têxteis, com previsão de início para o final de 2022.

Com um investimento inicial de 22 milhões de euros, podendo chegar aos 50 milhões de euros, o diferencial da JV, que competirá com outras matérias-primas têxteis, como algodão e viscose, se dá pelo apelo renovável da madeira (celulose de eucalipto) e do processo sustentável de produção, a partir da celulose microfibrilada (MFC), que não é submetida a processos químicos para sua obtenção, em comparação às demais.

Para a Suzano, conforme Fernando Bertolucci, diretor de tecnologia e inovação da Suzano, trata-se de uma grande oportunidade, uma vez que a empresa possui todos os atributos como escala, custo e competitivade para acompanhar e desbravar esse negócio. Além disso, Vinicius Nonino, diretor de novos negócios da Suzano, confirmou que esse investimento está alinhado ao planejamento estratégico da empresa, com metas e compromissos que contribuem para a preservação do meio ambiente.

De olho nesse novo mercado “verde” e na economia circular, a varejista de moda mundial H&M anunciou o interesse pela fibra, conforme Mattias Bodin, chefe da área de inovação da empresa, que também participou da conferência. 

Neste cenário de ganha-ganha entre o conhecimento de negócios e o conhecimento em tecnologia, para a Spinnova é uma maneira de se posicionar como empresa renomada de inovação em materiais sustentáveis e para a Suzano, de adentrar em um mercado de mais de 100 milhões de toneladas de fibras produzidas mundialmente. 

Vale destacar que a matéria-prima será fornecida prioritariamente com exclusividade pela Suzano e que a celulose seca será embarcada pela companhia a partir do Brasil, com toda a logística já dominada pela companhia. A primeira unidade desta JV ficará na cidade finlandesa de Jyväskylä – mesmo local do centro de pesquisa e desenvolvimento da Spinnova.  

Leia mais sobre esse projeto na edição de março da O Papel.

Histórico – A Suzano detém 23% do capital da Spinnova. Tal investimento e parcerias vieram como um dos frutos da aquisição da Fibria, incorporada em 2019. 

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009