A MAGNITUDE DA COP-26 NO COMBATE À EMERGÊNCIA CLIMÁTICA

Publicação
Emergência climática. Essa é a sentença da vez e, infelizmente,
estamos passando por uma era que nos alerta
sobre a gravidade na qual o mundo se encontra. As
mudanças recentes no clima são generalizadas, rápidas
e intensas. Sem precedentes nos últimos 6.500 anos. Não é
de hoje que observamos a intensidade de eventos como inundações,
processos erosivos, ondas de frio e de calor, queimadas,
secas e ciclones.
O último relatório do Painel Intergovernamental sobre
Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU ressaltou o desequilíbrio
do planeta provocado pela humanidade e como a falta de atitudes
poderá impactar nosso futuro no planeta. O modo inconsequente
como o ser humano até aqui tratou os recursos naturais,
especialmente após a revolução industrial.
A realização da COP-26, no mês de novembro em Glasgow,
será talvez a derradeira chance de o mundo realizar uma grande
concertação para reverter o grave processo de aquecimento
da Terra. Aliás, por todas as razões, trata-se de agenda com
tal magnitude que decerto se tornará um marco, daqueles que
serão estudados por anos e anos. São tamanhos os riscos e as
oportunidades que estão em jogo que deles nos lembraremos
por muito tempo.
A Rio-92, lá se vão três décadas, foi o momento decisivo
em que, sobre um inédito consenso que juntou ciência e diplomacia,
a comunidade internacional adotou as Convenções do
Clima e da Biodiversidade. Ali começou a desafiadora trajetória
que nos conduziria ao Acordo de Paris em 2015, adotado
por consenso multilateral. Nas discussões atuais, no âmbito da
COP-26, as principais atenções estarão em torno no artigo 6 do
Acordo de Paris. Caso aprovado, será estabelecido um mercado
global regulado de créditos de carbono, o que é um objetivo importante
para o mundo e particularmente para o Brasil.
PELO EMBAIXADOR JOSÉ CARLOS DA FONSECA JR.
Esta é uma discussão geopolítica vital. As negociações podem
abrir um grande mercado para a comercialização de créditos de
carbono, fortalecendo um sistema confiável e íntegro que vai incentivar
a redução de emissões. Nesse amplo mercado de créditos de
carbono, é grande o potencial de o Brasil ter natural protagonismo.
O setor de árvores cultivadas é um dos segmentos do agronegócio
brasileiro em que os princípios do ESG precisaram ser adotados
pioneiramente. De fato, já há duas décadas várias empresas do setor
de base florestal passaram a obedecer a padrões rigorosos dos
sistemas internacionais de certificação.
Estudo recente da WRI mostra como o potencial do novo mercado
de carbono para os próximos dez anos poderia injetar cerca
de R$ 2,8 trilhões no PIB brasileiro. Temos que transformar todas
estas competências em oportunidades. Somos vistos como um dos
países mais favoráveis na economia verde. Essa questão é um meio
fundamental para acelerar e dar mais escala aos produtos e soluções
de baixo carbono para o próprio Brasil e o mundo.
A indústria de base florestal investe em pesquisa, desenvolvimento
e inovação para tornar os processos mais eficientes. A fotossíntese,
realizada pelas árvores, remove carbono. Os plantios sustentáveis
e as áreas preservadas regulam fluxo hídrico, removem
e estocam GEE, em níveis que alcançam 4,48 bilhões de toneladas
de CO2 eq. Resultado dessas ações também são os mais de 5 mil
produtos e subprodutos, entre os quais celulose, papéis, móveis de
madeira, pisos laminados, biocombustível e carvão vegetal oferecem
soluções para a substituição de itens fonte fóssil.
Se, anteriormente, as mudanças climáticas eram vistas apenas pelo
ângulo ambiental, hoje entendemos que é uma questão também social
e econômica. A mudança no clima, de fato, já está colocando em
risco milhares de vidas humanas. A retomada verde, tão divulgada
mundo afora, não pode ser usada apenas como discurso, mas como
um compromisso de nossa geração como o futuro do planeta. 
Anexos

PDF | 335 Kb

 

Não há temas
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009