Publicação
Suzano anuncia compra de empresas com operações nos estados de SP, MS, BA e ES 

Operação totaliza US$ 667 milhões e está vinculada a uma área de 206 mil hectares 

 

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, anuncia hoje contrato para a aquisição da totalidade das participações societárias detidas por empresas titulares de ativos imobiliários e negócios nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Bahia e Espírito Santo, envolvendo uma área de 206 mil hectares. A operação totaliza US$ 667 milhões, montante a ser pago entre 2022 e 2023, e está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e da Assembleia de Acionistas da Suzano, a ser convocada para apreciação da matéria.  

A operação visa ampliar a eficiência operacional da Suzano, em linha com sua estratégia de ser referência em competitividade global na produção de celulose, bem como garantir e melhorar o aproveitamento e custo de base florestal em regiões estratégicas às suas operações no longo prazo. Quase a totalidade das operações das empresas adquiridas já é explorada pela Suzano por meio de contratos de parceria florestal celebrados em 2013. 

"A Suzano possui atualmente um custo de dívida bastante competitivo e disponibilidade de caixa para adquirir esses ativos e garantir, dessa forma, uma maior eficiência operacional e menor dependência de madeira de terceiros no longo prazo. Isto porque, com a fusão, tais áreas tornaram-se ainda mais estratégicas para a nova companhia", afirma o presidente da Suzano, Walter Schalka.  

A negociação prevê que aproximadamente 50% do montante será pago após a conclusão da transação e o restante será desembolsado um ano após o primeiro pagamento.  

"A Suzano tem um balanço financeiro sólido, de forma que a transação não representa risco para o Grau de Investimento, dado que o montante não é significativo e será desembolsado em parcelas", complementa o diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores e Jurídico, Marcelo Bacci.  

Ao final de 2021, a Suzano possuía dívida líquida de US$ 10,4 bilhões e liquidez de US$ 5,1 bilhões. A alavancagem da empresa, em dólares, estava em 2,4 vezes a relação entre dívida líquida e EBITDA ajustado. 




 

Sobre a Suzano  

A Suzanoé referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores produtoras de papéis da América Latina, atende mais de 2 bilhões de pessoas a partir de 11 fábricas em operação no Brasil, além da joint operation Veracel. Com 98 anos de história e uma capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano, exporta para mais de 100 países. Tem sua atuação pautada na Inovabilidade – Inovação a serviço da Sustentabilidade – e nos mais elevados níveis de práticas socioambientais e de Governança Corporativa, com ações negociadas nas bolsas do Brasil e dos Estados Unidos. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br 

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009